Meditação por Swami Dayananda Sarasvati

02 de maio de 2017 - 15:35 - por YNP, em Dicas de Saúde, 0 Comentarios
Meditação por Swami Dayananda Sarasvati

 



 Meditação
  Durante as suas palestras no Rio de Janeiro, em janeiro de 1984, Swami Dayananda
Saraswati dedicou uma atenção especial à meditação.

Este artigo é uma condensação do que ele disse sobre esse assunto ao longo de várias palestras.


Hoje em dia, quando se diz que vai chover no final de semana, as pessoas dizem:
"Oh! Más notícias". Porém, se as chuvas não vierem nunca, você não terá um mau final
de semana: terá um mau ano, sem água na torneira. Isso é um condicionamento.
 

É assim que olhamos as coisas. Se isso sou eu, eu sou um sujeito tolo. As nuvens são

nuvens, o que há de errado com elas? Cada uma delas está fazendo o seu papel.

As leis meteorológicas funcionam: se a atmosfera estiver preparada, a chuva ocorrerá.

Se você quer evitar a chuva, faça alguma coisa: pulverize alguma coisa nas nuvens que as faça desaparecer.

Mas do que serve ficar reclamando? Se você acha que isso é uma coisa pequena, as coisas pequenas é que nos fazem. A vida é uma seqüência de coisas pequenas. Coisas grandes só raramente ocorrem. E quando elas ocorrem, você não está lá! Nós somos condicionados e reagimos às situações como autômatos. As pessoas dos meios de comunicação também são autômatos. E eles dizem exatamente como devemos proceder. 

Meditação é somente você ser a pessoa que você é. Você é dotado de um corpo, de sentidos e de uma mente, que tem memórias, emoções e conhecimentos, e é consciente de todos eles. Você é uma pessoa. Uma pessoa se torna uma personalidade por causa dos medos, ansiedades e muitos outros problemas. Raivas, invejas, inseguranças, tudo isso faz de uma pessoa uma personalidade. Tudo isso é criado por você mesmo. Na meditação você reduz todas as situações a simples fatos. Quando você aceita as situações, elas se tornam simples fatos para você. Quando rejeita as situações, você se torna uma personalidade. O fato é que você é uma pessoa com um corpo, sentidos, uma mente e fora, como objeto de seus sentidos, está o mundo. Quando você apenas vê fatos, você é uma pessoa que não exige nem necessita de coisa alguma. Quando você é uma pessoa que exige ou necessita de alguma coisa, nesse momento está interagindo com o mundo. Quando apenas aprecia o mundo, você é somente você mesmo, e o mundo é como ele é. Você não está exercendo papéis (1). O problema é que cada papel acumula resíduos. Portanto, você tem que neutralizar e remover esses resíduos, para você ser o que é e as coisas serem o que elas são.

No processo da meditação os resíduos devidos aos papéis são neutralizados.

Meditação é ser independente de papéis. Esse estado de não fazer papéis não é desconhecido para você.

Quando olha para as estrelas de noite no céu, que tipo de pessoa você é? É uma pessoa que exige alguma coisa?

É uma pessoa com raiva? "Que céu inútil!". Você diz isso? Você é uma pessoa que quer que o céu seja diferente?

Se for, seu problema é mais sério do que eu possa resolver (eu aceito minhas limitações...). Se o céu e as estrelas não evocam em você uma pessoa exigente, então você descobre que é uma pessoa não exigente e apreciativa.

Você pode ser essa pessoa em relação a qualquer situação, porque qualquer situação é um fato tanto quanto o céu e as estrelas o são. Da mesma forma como você vê o céu e as estrelas, deve ver as nuvens e a chuva, os vales e as montanhas, os rios e os riachos, os lagos e as lagoas, uma árvore, um inseto ou uma flor. Isso deve ser uma atitude muito natural de sua parte. Se você aprecia essa bela pessoa, que é não exigente e apreciativa, você deve ser essa mesma pessoa em relação às pessoas e às coisas que lhe incomodam.

Isso é meditação. Isso põe as coisas como elas são e você como você é.
 

Swami Dayananda Sarasvati

Fonte: Vidya Mandir