Meditação

26 de setembro de 2016 - 22:42 - por YNP, em Dicas de Saúde, 0 Comentarios
Meditação

Meditação
 
Quem aí nos últimos tempos já não pensou nesta palavra... Há mais ou menos 16 anos atrás você escutava com pouca frequência, a associação da palavra vinha com "parar o pensamento" coisa de mestre Jedi ou algo que sua mãe ou vó já tinham feito em algum momento da vida.
 
A era da informação, a velocidade na qual as coisas andam acontecendo trouxeram novamente não só a palavra como a sua prática nos tempos de hoje, e sim com certeza você já ouviu falar de algum aplicativo que te ajude a meditar ou algum amigo possa ter ensinado alguma técnica que você tenha que ficar parado, sentado com os olhos fechados...
 
O fato é que se você não tiver instrução nenhuma e depois de um dia todo de trabalho, cuidados com a família, grupos de whatsapp, eventos e o que for que tenha acontecido neste dia tentar sentar para ficar em silêncio por alguns instantes pode achar esta uma prática sem pés nem cabeça, ora a mente acordada absorvendo todo tipo de informação: sons, percepções, informações visuais e outras que os sentidos alimentam a mente e você em determinado momento parar e fechar os olhos para então "meditar" pode não ser das melhores experiências.
 
Explicar desta forma pode te ajudar a começar a entender o conceito de ter uma mente meditativa. E já podemos falar nesta parte do texto que o pensamento não para na meditação, nem o maior dos mestres cosegue tal feito, o pensamento vai parar somente quando você passar desta para uma melhor (morte). O que acontece quando você começa a prática da meditação é aprender a observar a sua mente.
 
O início é mesmo este, três coisas começam a entrar neste campo de observação:
 
  • Pensamentos 
  • Emoções 
  • Desejos 

Quase que constantemente alguma destas coisas está nos influenciando, neste momento por exemplo você pode estar pensando no seu TCC, angustiado por não saber se vai terminar já pensando se pode ir para praia no final de semana.
 
Observando as coisas desta forma consegue-se perceber que há uma influência direta destes processos na sua espiritualidade (entenda espiritualidade como estado de ser) aí que começam as confusões de se reconhecer como estas coisas e não como você é realmente.
 
Uma mente meditativa e disciplinada, iria identificar estes processos para tomar as medidas necessárias tentando separar estas ações daquilo que realmete você é.
 
Você é quem observa estas situações e não necessáriamente elas, pois as ações se concluem e você continua o mesmo.
 
Este estado de observador é o primeiro despertado nas técnicas meditativas, através de exercícios que te possibilitem separar a constante identificação com as flutuações da mente.
 
A prática regular de Yoga entra exatamente neste momento pois prepara o complexo corpo e mente para este estado de observação. Neste estado os pensamentos não param, você continua observando os pensamentos, tendo a percepção de emoções e desejos, o que vai acontecer é que as técnicas ajudam a diminuir a influência deles sobre o que você é, assumindo assim a posição de observador.
 
No estado de observador é bem mais fácil de lidar com as flutuações da mente, diminuindo sofrimentos desnecessários, expectativas e o resultado destas coisas sobre o que você é.
 
Bom este primeiro texto é para mostrar este outro lado sobre o tema meditação, nos próximos aprofundaremos mais um pouco.
 
Boas práticas.
 
Namastê

Silvio Lopes
Professor de Yoga